Bússola

A bússola é o instrumento de orientação por excelência. Foi utilizada pelos navegantes italianos no século X, mas provavelmente foi inventada pelos chineses muito antes disso.

        O princípio de funcionamento de uma bússola é muito simples: uma agulha imantada apoiada sobre uma pequena haste e empilhada em um líquido especial (querosene ou xilene) aponta sempre a direção norte, sendo magneticamente atraída para esse pólo. No visor da bússola temos também a rosa dos ventos, para determinar a leitura com precisão.

  • Para utilizá-la:

        Logo que se toma a bússola e se destrava, o movimento brusco faz a agulha girar por alguns momentos, passando a oscilar de um lado para o outro, até firmar-se num mesmo ponto, apontando para o norte. Girando-a cuidadosamente, faz-se a parte imantada da agulha (pintada de azul) coincidir com o N do mostrador, delimitando assim com exatidão os quatro pontos cardeais, suas divisões e sub-divisões.

    • Leitura de mapas com a bússola:

        Os mapas, ou cartas, são um retrato fiel da região por eles representada, com todos os acidentes geográficos, rodovias, ferrovias, cidades, etc., e são projetados de acordo com os quatro pontos cardeais e com a escala de distâncias e medidas.

        Todas as palavras são impressas no mapa de acordo que a sua leitura coincida com os quatro pontos cardeais, isto é: À esquerda de cada palavra é W, a direita, E, acima N e abaixo S. Portanto, ao abrir um mapa, devemos primeiramente alinha-lo conforme nossa posição, verificando o N com a bússola, descontando a dmg e estabelecendo o N verdadeiro. Feito isso, viramos o mapa para o N, e estamos então na posição correta. Para seguirmos qualquer direção, basta visualizarmos a rota no terreno e colocarmo-nos em marcha.


 • Aprenda a se guiar pelo sol, é fácil!

--- Orientando-se pelo Sol ---

        Bem, mas é certo que nem todos nós tem dinheiro para ter uma bússola, porem em certas ocasiões nem precisamos, é verdade, a natureza foi-nos grata nesse ponto, ela criou um sistema de Orientação quase perfeito e muito simples, podendo ser aprendido por qualquer pessoa em quase todas as idades; é a Orientação pelo Sol.
        De madrugada, o sol aparece sempre do mesmo lado, ou seja, no nascente ou Leste. Ao entardecer, ele desaparece no lado oposto, ou seja, o poente ouOeste.
        Veja como é feita, na prática, a Orientação pelo Sol:

        • estendemos o braço direito para o lado em que o Sol nasce, isto é, para o nascente ou Leste;
        • estendemos o braço esquerdo para o lado em que o Sol desaparece, isto é, para o poente ou Oeste;
        • à nossa frente fica o Norte;
        • às nossas costas fica o Sul.

        Observe a rosa dos ventos, encontrada em todos os mapas de regiões, nela estão indicados os principais pontos cardeais:


 

USANDO A BÚSSOLA OU SEU RELÓGIO

Conheça os truques ótimos para orientar-se usando uma bússola e dicas infalíveis de como improvisar e não errar a direção

Todo mundo sabe - ou deveria saber - que para usar uma bússola basta colocá-la na palma da mão, ou em uma superfície lisa, e aguardar alguns instantes imóvel até a seta parar. Para onde ela apontar é o norte. A partir daí você acha a direção de todos os outros pontos cardeais.
Pois bem, mas não é só isso que o instrumento pode fazer. Com ela, existe um truqe infalível que garante a saída de um lugar e a volta para esse mesmo local, sem se perder pelo caminho. É importante não fazer essas medições dentro do carro ou próximo a objetos metálicos, que podem interferir nos resultados.

1 - Aponte a bússola para um ponto de referência fixo, como uma ponte ou árvore diferente. Olhe a quantos graus está do norte.

2 - Anote num papel e vá fazendo isso em outros pontos fixos que surgirem durante o percurso.

3 - No final, você terá uma espécie de mapa, baseado em graus. Ou seja, na volta, você certamente topará com algum ponto conhecido. Aí basta apontar a bússola para ele e seguir a direção dos graus anotados anteriormente.


Quando é preciso improvisar

Método 1
 - Usando seu relógio

 

1 - Pegue um pedaço de pau reto, rígido e fino de meio metro de comprimento de aproximadamente 3 centímetros de largura. Enterre-o no chão.
2 - Peque seu relógio. Alinhe o ponteiro de horas com a sombra projetada pelo pedaço de pau (não se esqueça de atrasá-lo em uma hora se houver horário de verão). A sombra deve cair exatamente sobre o ponteiro.
3 - Divida ao meio o ângulo entre o 12 e o ponteiro de horas. Esse ponto é o sul.



Método 2 - Um pedaço de pau

 

1 - Enterre um pedaço de pau reto e firme com aproximadamente 1 metro de comprimento num lugar ensolarado.
2 - Se for de manhã (bem cedo), a sombra apontará o oeste. Ao meio-dia, a sombra (minúscula, mas presente) indicará o norte. Já à tarde (bem tarde), a sombra apontará o leste.



Método 3 - Usando uma agulha

  •         Pegue uma vasilha com água, corte um pequeno disco de uma rolha qualquer e transpasse aí um alfinete, após ter esfregado bem uma de suas pontas no cabelo. Colocando o disco na água, ele vai boiar, e o alfinete com a ponta imantada apontará para o Norte.
  • Pegue uma agulha (ou qualquer outro objeto de metal, pontiagudo e fino) e esfregue por um minuto num imã (ou em qualquer objeto imantado como a parte em que se encaixam as pilhas de uma lanterna). Rasgue um pedaço de alumínio (pode ser papel, latinha de refrigerante) de aproximadamente 10 centímetros, dobrando todas as extremidades para cima. Coloque a agulha dentro do "barquinho" e posicione o conjunto sobre uma poça ou bacia de água. Ela se moverá para o norte.
 
 
  Site Map